terça-feira , 21 novembro 2017

NOTA

Sobre o corte da Palmeira Imperial no Pátio de Carmo

 Referente à publicação “Advogado critica derrubada de palmeiras imperiais para comício de Lula, no Carmo” que traz o artigo “Minha Terra tem Palmeiras” de autoria do advogado José Paulo Cavalcanti Filho, o Partido dos Trabalhadores informa que em momento algum pediu, solicitou, sugeriu, realizou corte ou mesmo poda de árvores para realização do Ato da Frente Brasil Popular pela democracia, pelos direitos e por Lula, com as presenças dos ex-presidentes Lula e Dilma.
 
O Partido dos Trabalhadores protocolou na Prefeitura do Recife ofício informando da agenda do ex-presidente Lula em nossa cidade e solicitou providências no que se refere a trânsito e à segurança do ato, “para que os atos públicos e democráticos transcorram em plena normalidade com menor impacto possível à população”.
 
O Pátio do Carmo é um espaço tradicional de manifestações populares pequenas, médias e grandes. Não é a primeira vez que foi utilizado para ato público. E nunca, nem agora, foi pensado, sugerido ou solicitado a derrubada de qualquer árvore. Até porque seria contraditório ocupar a praça pública em favor de direitos e da democracia e solicitar à administração municipal uma intervenção de tamanho porte.
 
Sabemos do significado ambiental, histórico e cultural das palmeiras imperiais que ao longo dos anos presenciaram momentos históricos da vida da nossa cidade e do nosso país. Fazem parte de tudo que defendemos historicamente, e pelo que lutamos, na trajetória do PT.
 
O zelo e o cuidado com estas árvores são do interesse de todos. A nenhum dos usuários do espaço público cabe a poda ou retirada de qualquer árvore. A responsabilidade pela sua manutenção é do poder público, neste caso a Prefeitura do Recife.
 
Achamos igualmente estranho que tal procedimento tenha ocorrido justamente no mesmo dia da atividade da Caravana Lula pelo Brasil. Até porque a coordenação do ato já havia formalizado a sua realização junto à Prefeitura, sem sequer mencionar qualquer ação neste sentido. O próprio ato poderia ter sido prejudicado caso houvesse algum imprevisto nesta execução.
 
Quanto às insinuações de caráter político, que exprimem um certo incômodo do advogado pela força da Caravana Lula pelo Brasil e com a enorme comoção popular que as injustiças contra Lula e o PT estão provocando, sugerimos que se utilize de argumentos mais convincentes no lugar de falsas notícias. 
 
Surpreende que um advogado de renome decline de sua formação profissional, que deveria torná-lo mais atento ao contraditório e à veracidade das informações, tenha optado por proferir julgamento e sentença preconceituosos, sem base em qualquer indício de autoria. O melhor caminho para uma boa causa é se apoiar mais nos fatos e nas provas do que em meras convicções e desejos. E culpar inocentes não é uma boa causa para ninguém, muito menos para um operador do Direito. A poesia, as árvores, a justiça e o Direito esperam mais prudência e responsabilidade dos advogados do que revelou possuir o autor do fantasioso e manipulador artigo.
 
Recife, 29 de agosto de 2017
 
Comissão Executiva Estadual 
Partido dos Trabalhadores 
Pernambuco